Pão de Pancetta e Azeitonas mistas

Foi uma verdadeira negociação, com meu marido, para deixar que eu levasse esse pão para o escritório. Mas dá para entender: bacon e azeitona… tem como não ficar bom??

Logo no início da preparação, levei um susto: acabou a pilha da minha balança. Fiz tudo no olhômetro, morrendo de medo.

Segui a receita padrão para pães de azeite do Bertinet: 500 gramas de farinha, fermento fresco, água, azeite, sal. Manipulei a massa, fazendo os movimentos “Bertinísticos” para incorporar ar.

Só que essa receita me deixou um pouco confusa. Porque sempre incluí o recheio após o período de crescimento. E, ao que tudo indica, era para colocar o recheio no fim da manipulação da massa e, depois, prosseguir para o crescimento.

Então, resolvi deixar crescer sem o recheio. Não me arrependi. A massa cresceu e ficou bem bonita. Depois de uma hora, derramei a massa sobre a bancada, adicionei a mistura de bacon e azeitonas e moldei no formato de uma bola.

 

Então, deixei descansando por mais trinta minutos. Depois, dividi a massa em três pedaços iguais e moldei três filões.

 

Ficaram no descanso por mais uma hora. Então… forno!!

Aprendizado: fazia tempo que não produzia pão de azeite. E esqueci que ficam muito macios e bem pegajosos… cometi o erro de tentar transferi-los para a pedra de assar utilizando minha pá de metal. A massa grudou na pá e fiquei naquela situação desastrosa de tentar desgrudá-la, com o forno super quente queimando meu braço. Conclusão: a massa ficou toda revirada na pedra. Coloquei o último filão em uma assadeira – bem melhor!

Mas acho que meu marido nem notou, porque nem deixou o pão esfriar. Comeu dois pedaços!

Sem comentários

Escreva um comentário