Pão em Camadas

O Bertinet começa a receita deste pãozinho com “são pães realmente surpreendentes, porém muito simples porque você não tem que “moldar” a massa”.

É verdade. Não tem que moldar a massa. Já a parte do “muito simples”, prefiro não comentar… as fotos dirão por mim.

Bom, o início, o mesmo: receita base de pão branco – 500 gramas de farinha de excelente qualidade (acima de 10 gramas de proteína), 10 gramas de sal, 350 gramas de água e 10 gramas de fermento (utilizo o de saquinho).

Depois, trabalhei a massa, fazendo os movimentos para incorporar ar. Quando estava pronta, deixei uma hora descansando dentro do micro-ondas (desligado! Rs). Após esse tempo, a massa estava liiiiiinda e cheirosa.

 

Utilizei meu raspador para retirar a massa da tigela com cuidado. Ah! Lembrei que nunca falei sobre o raspador. Trata-se de um pedaço de plástico que comprei em uma loja de construção e é muito útil nesse processo de panificação. Eu só encontrei esse raspador por uma indicação do meu irmão, que me deu essa dica.

 

Bom, voltando à receita. Geralmente, após o tempo de descanso, há o processo de “moldar”a massa. Nessa receita, não há esse procedimento. Assim que tirei a massa, já derrubei sobre a bancada e achatei bastante até ficar com espessura de aproximadamente de 5 mm.

Depois, utilizei um cortador de massa redondo para fazer círculos. O primeiro, ficou enorme. Então troquei para um cortador com diâmetro menor. Fiz o que manda a receita: “empilhei” três discos, um em cima do outro, utilizando um pouquinho de água como cola entre cada unidade.

Essa parte já começou a ficar estranha. Porque a massa de pão é molinha e estava bastante calor nesse dia (e eu já estava com o forno ligado) – então a cozinha estava quente. De qualquer forma, continuei o processo. E utilizei, como base para os pães, uma assadeira virada para baixo. Conforme fui montando as torres, notei que os anteriores começaram a “derreter”um pouco… mas continuei o processo.

 

De lado, ele fica bonitinho. Parecem aqueles macarrons empilhados.

Levei as assadeiras para dentro do micro-ondas desligado, onde ficaram crescendo por mais 45 minutos. Ao retirar as assadeiras, tomei um susto. Deparei com algo que me lembrou aquele filme dos anos 80, “A coisa”. Até dei uma olhada para o lado e conferir se meu marido estava por perto, porque fiquei com medo daquela coisa me engolir! Rs!

 

Bem que o Bertinet fala no início: “são pães realmente surpreendentes”!

Bom, lá fui eu tentar resgatar os coitados. Utilizei uma colher para arrumá-los novamente para que não ficassem tão parecidos com a Torre de Pisa.

 

Tudo bem. Não foram os pães mais lindos que já fiz…

Depois de ajeitá-los, foram direto para o forno, que estava super quente. Dei algumas borrifadas de água para garantir a crocância e coloquei as “coisinhas”para dentro, onde ficaram por cerca de 15 minutos.

Depois, retirei e os coloquei sobre uma grelha para esfriarem.

 

O resultado até que foi interessante. Meu marido achou que eram pães de queijo – ficaram parecidos mesmo! Com uma manteiguinha, ficaram perfeitos!

Sem comentários

Desculpe, os comentários estão fechados no momento.